9 indicadores financeiros que você precisa conhecer

Saber o que são indicadores financeiros e entender como eles funcionam é crucial para garantir o bom gerenciamento de uma empresa. Essas métricas permitem que você tome decisões oportunas em seu empreendimento, além de contribuírem para a montagem de relatórios e análises financeiras.

Esses indicadores de viabilidade de negócios são ferramentas essenciais para medir e acompanhar o desempenho da empresa, e fornecem uma imagem geral da saúde financeira do negócio. Por isso, eles devem ser avaliados antes mesmo do empreendimento ser oficialmente lançado no mercado.

Neste artigo, você confere quais são os principais indicadores financeiros e como utilizá-los para avaliar a situação financeira de uma empresa, quais as suas fórmulas e em quais situações essas análises são mais adequadas.

Continue a leitura!

Quais são as categorias de indicadores financeiros?

Para garantir o crescimento saudável de uma empresa, é preciso que a administração mantenha um controle adequado sobre as finanças e os resultados financeiros daquele empreendimento.

O controle é feito através da análise de certos indicadores financeiros, que geram informações sobre os aspectos financeiros gerais do empreendimento. Esses indicadores são comumente divididos em 5 categorias principais. São elas:

Rentabilidade

Os indicadores de rentabilidade possibilitam a avaliação dos lucros da empresa em relação ao capital investido, aos ativos e às vendas. Ou seja, é uma forma de mensurar o lucro da empresa em relação ao patrimônio.

Essa análise vertical é feita com a exibição dos itens do demonstrativo, e é especialmente utilizada para a comparação do desempenho de uma empresa em diferentes períodos diversos.

Estrutura de capital

Também chamada de “Estrutura de capital e endividamento”, esse indicador examina o nível de endividamento da empresa a longo prazo, e o quanto isso pode afetar sua produção de lucros.

Essa posição de endividamento é, basicamente, o quanto de capital de terceiros uma empresa usa para financiar a si mesma, e o quanto isso afeta (ou não) a sua capacidade de gerar caixa suficiente para arcar com dívidas, juros e demais despesas, enquanto ainda garante o crescimento de suas atividades.

Liquidez

A liquidez descreve o grau em que um ativo ou título pode ser rapidamente comprado ou vendido no mercado a um preço que reflete seu valor intrínseco. Em outras palavras: a facilidade de convertê-lo em dinheiro.

O dinheiro em espécie é universalmente considerado o ativo mais líquido, enquanto os ativos tangíveis, como imóveis, ações, objetos de artes, entre outros, são todos relativamente ilíquidos.

Assim, a liquidez pode facilmente ser entendida como uma avaliação se a empresa pode ou não cumprir suas obrigações em um curto prazo.

Atividade

A atividade é o indicador financeiro que avalia a rapidez com que a empresa realiza conversões de suas contas em vendas ou entradas e saídas de caixa.

Dentro dessa categoria são encontrados indicadores conhecidos dos administradores de empresas, como o giro de caixa, giro de estoques, entre outros.

Valor de mercado

Como o próprio nome já indica, o valor de mercado faz referência à avaliação do valor da empresa em relação ao preço de suas ações no mercado financeiro.

É fácil compreender que quanto mais bem avaliada for a empresa, mais interesse ela desperta em investimentos de terceiros.

Conheça os 9 indicadores que fazem a diferença na empresa

Há diversos indicadores financeiros, que acabam sendo mais utilizados para a análise de uma ou outra categoria, de acordo com os interesses de uma empresa.

Assim, para adotar a análise de indicadores financeiros é necessário traçar uma estratégia de utilização, reconhecendo os objetivos desejados e quais são as necessidades do empreendimento.

Estabelecendo essa estratégia, fica mais fácil identificar quais os indicadores mais indicados para cada tipo de empresa.

De toda forma, listamos quais os principais indicadores financeiros que fazem a diferença num negócio. São eles:

1. ROI

O ROI (Retorno Sobre o Investimento) é um importante indicador que lhe ajuda a compreender onde é mais válido investir o seu dinheiro. Assim, você conseguirá escalar os seus ganhos e ampliar os resultados.

O indicador é muito utilizado em campanhas de marketing. Se você investir uma determinada quantia em uma estratégia de captação de clientes, por exemplo, e depois retornar um valor maior do que você aplicou, o ROI foi positivo.

Ou seja, essa campanha foi boa. A partir disso, será válido buscar outras maneiras de otimizar mais ainda esta estratégia de marketing.

Veja como você pode calcular o ROI abaixo:

Fórmula:

ROI = (Receita – Custo)/Custo

2. Margem Operacional

A margem operacional é o indicador que mede a eficiência operacional de uma empresa. Em outras palavras, essa margem mostra o quanto da receita líquida do empreendimento foi gerada pelas atividades operacionais do mesmo.

O cálculo é feito pela divisão do lucro operacional pela receita líquida, e é bastante utilizado para comparar empresas de um mesmo ramo.

Fórmula:

Margem Operacional = (Lucro Operacional / Vendas Líquidas) x 100.

3. Margem EBITDA

A Margem EBITDA indica o lucro de uma empresa antes do pagamento de itens como impostos, juros, depreciação e amortização (EBITDA).

É a quantidade de geração operacional em caixa de uma empresa, ou seja, o quanto o negócio em questão gera de lucro ou prejuízo apenas com suas atividades operacionais.

Fórmula:

Margem EBITDA = EBITDA / receita líquida

4. Margem Líquida

A Margem Líquida indica a porcentagem de lucro líquido que uma empresa tem em relação a sua receita total. Ou seja, ela mostra o quanto, de fato, a empresa tem como lucro após o pagamento de impostos, juros, etc.

Quanto maior for a margem líquida, mais bem avaliada é a empresa, por considerar que sua situação financeira vai bem.

Fórmula:

Margem Líquida = (Lucro Líquido/ Receita).

5. Retorno Sobre o Patrimônio

O Retorno Sobre o Patrimônio também é conhecido como ROE, sigla do termo em inglês para Return On Equity. Este indicador analisa a capacidade que uma empresa tem para gerar valor para o negócio e para investidores, utilizando seus próprios recursos.

O ROE pode ser entendido como uma forma de determinar o retorno total do lucro líquido de um investimento em um negócio.

Fórmula:

ROE = Lucro líquido / Patrimônio líquido

6. Endividamento total/patrimônio

Este indicador mostra se uma empresa está muito ou pouco endividada, especialmente fazendo uma comparação entre o patrimônio líquido de uma empresa e suas obrigações, tanto no curto quanto no longo prazo.

De forma simplificada, esse índice demonstra o quanto as dívidas são maiores (ou não) que o patrimônio da empresa.

Fórmula:

Endividamento = (Passivo Circulante + Exigível a Longo Prazo) / Patrimônio Líquido.

7. Cobertura de juros

Como o próprio nome já mostra, esse índice avalia a capacidade que uma empresa possui de pagar os juros de suas dívidas sem comprometer o seu próprio caixa.

Mesmo que um empreendimento tenha um alto endividamento, se apresentar uma boa cobertura de juros, as dívidas não serão um problema para o mercado financeiro.

Fórmula:

Índice de cobertura de juros = Lucro antes dos juros e impostos (EBIT) / Despesas financeiras brutas.

8. Liquidez Corrente

A Liquidez Corrente apresenta como a empresa pode arcar com suas obrigações em um prazo curto. Esse índice é calculado através do ativo circulante dividido pelo passivo circulante.

Essa liquidez é importante porque mostra se a empresa tem ou não recursos financeiros suficientes para cumprir com seus compromissos em até um ano, fator essencial para definir a confiabilidade da mesma no mercado.

Fórmula:

Liquidez Corrente = Ativo Circulante / Passivo Circulante

Se o resultado for maior que 1 é considerado positivo. Igual a 1, os direitos e obrigações acabam equivalentes. Mas se o resultado for menor que 1, a empresa não consegue quitar as obrigações a curto prazo.

9. Giro de caixa

O giro de caixa é um índice que mede o tempo necessário para transformar recursos da empresa em valor. Para isso, é necessário conhecer com propriedade o ciclo financeiro do negócio, que considera aspectos como o giro de estoque, prazo para pagamento de fornecedores, e o prazo médio para o recebimento das vendas.

O ciclo financeiro, portanto, calcula o prazo entre a saída do dinheiro até a sua recuperação.

Já para calcular o giro de caixa, basta dividir a quantidade de dias do ano pelo valor encontrado no ciclo financeiro.

Fórmula:

Giro de Caixa = 365/Ciclo Financeiro

É importante lembrar que esse indicador tem mais relevância para empresas de varejo, por exemplo, onde as operações se baseiam na compra e venda de mercadorias.

Conclusão

Os indicadores financeiros são grandes aliados dos empreendedores no processo de gestão de uma empresa, pois medem a diferença entre a situação desejada (meta) e a situação atual (resultado).

Esses indicadores apontam o caminho, e são um referencial, fornecendo uma base objetiva para identificar problemas, definir prioridades e  verificar como andam os esforços para a melhoria da empresa.

Divididos em 5 categorias principais – Rentabilidade, Valor de Mercado, Liquidez, Atividade e Estrutura de Capital – há diversos índices a serem aplicados para a avaliação das empresas, dos quais, os mais importantes são:

  • ROI
  • Margem Operacional
  • Margem EBITDA
  • Margem Líquida
  • Retorno sobre o Patrimônio
  • Endividamento total/patrimônio
  • Cobertura de Juros
  • Liquidez Corrente
  • Giro de Caixa.

Para entender um pouco mais sobre a importância dos indicadores financeiros, e qual a melhor forma de utilizá-los em sua empresa, a NWZ Treinamentos oferece cursos especializados no assuntos, com dicas que ajudam a colocar em prática as teorias aprendidas, a fim de ajudar na gestão financeira do seu empreendimento.

Ficou interessado? Aproveite para fazer o Curso de Indicadores Financeiros e trazer todos esses benefícios para a sua empresa!

1 Comentário

Participe da discussão

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *