Gastos, custos e despesas: é tudo a mesma coisa?

Para que um negócio seja bem-sucedido, é importante acompanhar de perto todos os setores, mas com certeza o financeiro precisa de atenção especial. Realizar uma supervisão eficiente sobre os gastos da empresa é fundamental para compreender tudo o que sai do caixa da companhia. Para que a gestão financeira seja feita de forma correta, é preciso conhecer bem as diferenças entre gastos, custos e despesas.

A compreensão sobre todos esses conceitos é crucial para garantir que a saúde financeira da empresa esteja constantemente boa.

A princípio, para uma pessoa com pouco conhecimento no assunto, os três conceitos podem significar a mesma coisa, porém na verdade não são. Cada um desses itens representa uma modalidade diferente nos balanços de uma companhia, com as próprias normas contábeis os classificando de maneira distinta.

E você sabe responder a pergunta do título desse artigo? Se a resposta for não, não se preocupe, nesse texto explicaremos melhor a diferença entre eles.

O que são os gastos?

Começaremos pela definição de gastos já que é um conceito mais amplo. Todos os bens e serviços adquiridos por uma empresa são considerados gastos em algum momento de sua existência. Ou seja, qualquer saída de caixa é considerada gasto antes de ser classificado em custos, despesas, investimento ou perda.

Porém, para fins de contabilidade, permanecerá como gasto toda a quantia despendida pela empresa para suprir um evento inesperado ou financiar algo fora do normal. Como o gasto tem natureza imprevisível, ele não pode ser repassado para o cliente no preço do produto e significará prejuízo. Alguns exemplos de gastos são:

  • Troca de equipamentos com defeito;
  • Assistência técnica;
  • Pagamento de empréstimos;

 Custos e despesas: qual a diferença?

Realizar atividades financeiras nem sempre é fácil. Lidar diretamente com o dinheiro da empresa é um trabalho que requer bastante atenção para entender totalmente o que de fato está acontecendo no setor e assim evitar falhas que podem causar prejuízos.

Entender os conceitos de custos e despesas é vital, pois boa parte das pessoas que não conhece profundamente a área confunde essas definições. Para evitar que você faça parte desse grupo, vamos falar sobre a diferença entre eles. Preste bem atenção:

Custos

Trata-se de todo e qualquer gasto referente à aquisição ou produção de mercadorias. Os custos são os gastos da empresa com o produto final.  Veja alguns exemplos:

  • Matéria-prima;
  • Mão-de-obra;
  • Gastos relacionados à fabricação;
  • Salários dos envolvidos na produção;
  • Depreciação das máquinas;
  • Gastos com embalagens;
  • Gastos com logística.

Despesas

Trata-se de todos os gastos referentes à administração da empresa, como os feitos nas áreas comercial e financeira, por exemplo. Eles são necessários para garantir o funcionamento do negócio, mas não contribuem diretamente para a produção de novos itens que serão comercializados. Confira abaixo alguns exemplos de despesas:

  • Pagamentos de água, luz e internet;
  • Aluguel do espaço administrativo;
  • Gastos com marketing e publicidade;
  • Gastos com lanches para os funcionários;
  • Material de escritório;
  • Salários da equipe de administração.

Sempre que houver dúvidas em relação ao conceito de custos e despesas lembre-se de que todos os gastos que afetam a produção ou a atividade do objetivo social da empresa são custos. Já as despesas impactam diretamente a sua administração e não a produção.

Agora que a diferença entre esses dois conceitos está mais clara, vamos falar sobre a classificação dos custos e os tipos de despesas.

Custos fixos e variáveis

Os custos fixos não variam em relação ao volume produzido. Eles serão cobrados mensalmente independente de a empresa ter dinheiro suficiente no caixa ou não. São exemplos disso o aluguel do espaço fabril e o gasto com pagamento de mão-de-obra.

Já os custos variáveis variam de acordo com o volume produzido. Por exemplo, o que se gasta com matéria-prima e embalagens. Quanto mais se produz, mais se gasta.

Despesas fixas, variáveis e operacionais

Seguindo a lógica dos custos, as despesas fixas não variam de acordo com as vendas e distribuição, sendo, em sua maioria, despesas administrativas, como conta de água, por exemplo.

Entretanto, as despesas variáveis são aquelas influenciadas pelas vendas. Como exemplos, podemos citar comissões pagas a vendedores ou brindes dados a funcionários como forma de premiá-los por metas ou resultados atingidos.

Por fim, as despesas operacionais são aquelas necessárias à atividade da empresa e a sua manutenção. Alguns exemplos são os gastos com marketing e propaganda, com transporte para visitar clientes e ainda os administrativos, como impostos, benefícios aos funcionários e contabilidade.

Você deve estar pensando que realizar o controle de custos e de despesas não é nada fácil, não é? A boa notícia é que, com o tempo e a experiência, esta tarefa se torna mais simples. Neste artigo você aprenderá a fazer um controle de custos e despesas de uma forma eficiente.

A importância de diferenciar gastos, custos e despesas

Diferenciar gastos, custos e despesas é importante não apenas para esclarecimento do seu significado, mas principalmente porque é através da definição clara destes termos que se torna possível formar o preço de venda do produto ou da prestação de serviço. É fato que para se chegar no preço de venda é imprescindível o conhecimento do valor do custo. Além disso, a diferenciação desses termos traz ao gestor a informação de onde os valores estão concentrados, dessa forma, auxiliam na tomada de decisão e na evidenciação das demonstrações contábeis fazendo com que fique transparente, também, a informação do resultado operacional.

É fundamental contar com ferramentas para auxiliar no gerenciamento do setor financeiro da empresa. Para efetuar a correta gestão dos gastos, custos e despesas, a planilha de fluxo de caixa pode ser ideal.

Através das ferramentas, os gestores poderão lançar as entradas e saídas, checar o que precisa ser pago e os valores disponíveis para isso e ainda enxergar como está o fluxo de caixa da empresa.

A planilha de fluxo de caixa otimiza diversas atividades e como resultado dessa ação faz com que ocorra o aumento da produtividade da equipe e que os gestores tenham maior disponibilidade para se dedicar ao planejamento da empresa.

Além do mais, através da planilha é possível acessar o DRE (Demonstrativo de Resultado do Exercício) e avaliar os relatórios que são gerados de forma automática. Neste outro artigo você aprenderá como fazer um fluxo de caixa perfeito.

Realizar cursos é uma ótima maneira de se atualizar e de melhorar em suas atividades. O curso de Gestão Estratégica de Custos, da NWZ Treinamentos, é perfeito para você que deseja realizar uma gestão de custos e despesa mais eficiente.

Veja também: 4 erros de Gestão de Custos que a sua empresa não pode cometer

6 Cometários

Participe da discussão

6 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *